Competências e Habilidades

admin 23 de fevereiro de 2017 880 Nenhum Comentário

image

Descubra o que pode destravar sua carreira

Tem dia que a gente acorda se sentindo quase uma múmia. Ritmo muito lento, o raciocínio não funciona direito, só sai da cama porque não tem jeito.

Essa moleza toda pode ter sido causada por uma noite mal dormida. Ou por uma noitada longa.

O fato é que a gente nesse momento sente uma enorme dificuldade para pensar ou  agir. Vai levando…

Dá para dizer que, nessa situação, é como se a pessoa não tivesse nenhuma competência ou habilidade para tirá-la daquela situação. Nesse momento ela se parece mais com um vegetal.

Na vida profissional é assim que as coisas acontecem: quem não tem meios para se movimentar fica travado, vegetando.

Podemos dizer que “Competências”, no sentido utilizado no ambiente corporativo, são atributos que uma pessoa tem por dom  ou por desenvolvimento e que lhe permite conduzir a vida pessoal e profissional com mais facilidade, de forma proativa e eficaz. Exemplo: ser uma pessoa que conduz bem as relações humanas.

Vejo “Habilidades” no ambiente corporativo como qualidades  mais voltadas à aptidão e à destreza necessárias para  realizar bem alguma tarefa. Um jogador de futebol tem que ter  habilidade com a bola, caso contrário será um péssimo jogador.

Pense em um vendedor externo, que precisa sair todo dia para visitar  clientes e fazer suas vendas. Ele pode ir de carro ou de moto, por exemplo.

Uma habilidade essencial que ele precisa ter é saber dirigir o carro ou a moto. Outra habilidade poderia ser a capacidade de trabalhar com computadores ou outros aparelhos digitais para tirar os pedidos.

Competências, neste caso, poderiam ser: sua capacidade de demonstrar com base em argumentos consistentes as vantagens de seu produto, ou a capacidade de superar objeções  pelos clientes, ou a capacidade de se relacionar bem com os mais diversos tipos de clientes.

Para se construir uma boa carreira, a pessoa precisa  ter ou desenvolver determinadas habilidades e competências, sendo que cada profissão tem exigências específicas. É fundamental que você saiba quais são elas.

Muitas empresas já têm os seus programas de desenvolvimento implantados. Outras, ainda não.

No primeiro caso, a pessoa passa por uma avaliação formal e, através de métodos de diagnóstico, são identificadas as habilidades e competências que ela já possui e as que precisa desenvolver. Assim, de uma forma estruturada, a pessoa sabe o que precisa incorporar de forma objetiva para ser bem sucedida em determinado cargo. Caberá à pessoa se esforçar para incorporar os novos conhecimentos e, o mais importante, passar a aplicá-los no seu dia-a-dia.

O segundo caso, é mais complicado. Tudo é incerto, sem clareza. E o chefe depois de algum tempo pode vir pressionar a pessoa dizendo que ela não está indo bem…. mas o que era esperado dela afinal?

Bem, e é isso que quero destacar,  a pessoa precisa estar ciente de que toda função ou atividade necessita de  habilidades e competências específicas. Mesmo que ninguém tenha te falado. Aí fica à escolha da pessoa: lamentar depois que tiver o problema ou se antecipar e, de forma estruturada, procurar identificar quais habilidades e competências são necessárias para aquele cargo ou função.

O que se faz em seguida é muito simples. É seguir o mesmo modelo das empresas que já possuem seus programas de desenvolvimento. A idéia é listar  as habilidades e competências necessárias para a função que está exercendo ou vai exercer;  em seguida analisar quais  a pessoa tem, e em que grau ( identificando aí quanto precisa melhorar em cada uma delas), e quais outras precisa incorporar. Isso é conhecido no mundo corporativo como análise de “gap”.

A etapa seguinte é fazer acontecer, buscando onde obter os conhecimentos e informações necessários para cobrir os “gaps”. Podem ser livros, cursos formais, cursos informais, etc.

Pronto, quando você faz isso por escrito, de forma organizada, seu plano de desenvolvimento está concluído.

Uma sugestão é priorizar. Já que não é razoável tentar fazer as coisas todas ao mesmo tempo, o ideal  seria a pessoa identificar o que é mais urgente e ir ampliando suas competências e habilidades de forma gradativa. E mais, ir mudando seu comportamento e  incorporando os novos conhecimentos  aos poucos nas suas atividades.

E, por último, um ponto importante para pessoas que pretendem buscar uma colocação em uma empresa de porte. Essas empresas, em seus processos seletivos,  estão passando a analisar os candidatos de maneira cada vez mais rigorosa com relação às habilidades e competências que já possuem. Com isso, ganham tempo na integração da pessoa e reduzem o investimento em treinamentos.

Cadu Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BeTube Ads